26.1.09

Um luxo!






Vinte e cinco anos atrás, só havia duas pousadas: os ricos ficavam no Solar da Ponte e seu chá das cinco e os pobres na modestíssima Pensão do Laurito, na linda rua Direita. Pra comer, apenas um restaurante decente, o Padre Toledo, com espera de 3 horas por um frango ao molho pardo, mas valia a pena. Pequena e mais plana, a cidade era meio ofuscada pela fama do casario de Ouro Preto e, por isso mesmo, preservava o charme da vida que anda devagar. De lá pra cá foram centenas de idas e vindas e a cada vez encontrei uma nova pousada, um novo restaurante, uma nova lojinha, ainda que todas com as mesmas cópias artesanais. Felizmente Bichinho está logo ali, com a genialidade de Toti e sua Oficina de Agosto – e a cada nova visita, encontro (e compro) uma nova e belíssima surpresa. A cidade cresceu em torno do arraial de Santo Antônio da Ponta do Morro, mais tarde Vila de São José Del Rey – ao ladinho da São João do mesmo rei. Desde o começo do século XX tem nome bem menos poético, mas que homenageia o filho mais ilustre – e mais esquartejado – das terras mineiras: Tiradentes. Hoje a pequena Tiradentes já rivaliza com Ouro Preto em turistas ilustres e dá um verdadeiro banho em matéria de comodidades, como pousadas confortáveis, lojas sofisticadas e culinária de primeiro mundo. Cheguei de lá ainda agorinha, já estou com saudades! Fugi, claro, dos passeios pelas ruas apinhadas de lojinhas, pois a época é ingrata, corre a Mostra de Cinema – note-se que é mostra, não festival, ou seja: um desses eventos que não oferecem novidade alguma, mas atraem os turistas e entopem as ruas de jovens com latinha de cerveja. Preferi ficar em casa mesmo, fui hóspede em local privilegiadíssimo, bem em frente à Serra de São José, o casario e as igrejas desenhados aqui embaixo, silêncio de sapos e grilos. E fiquei imaginando meus amigos loucos e agitados da blogosfera naquele cenário idílico, sempre quis usar essa palavra, em bate-papo regado a vinho. Isso sim que é luxo, quem sabe um dia...

5 comentários:

Patty Diphusa disse...

Boralá...adoraria a conversa regada a vinho. Coisas simples, amenas e divertidas.

Bjs

rm disse...

Tô dentro. É só marcar a data.

Sabe-se faz tanto tempo quanto a idade das cidades históricas mineiras, que o melhor lugar são os amigos. Se a estes puder se somar a companhia da bela Serra de São José, aí então...

E Patty, vai ser proibido conversar sobre política... rsss

Nicolau disse...

O conceito de "amigos loucos e agitados" provavelmente não me inclui. Mas tudo bem, não vou ficar com inveja de ninguém não. Imagina.

Beijos

Nicolau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana G. disse...

Comentarista, agitado não sei, imagino que não. Mas meio maluquinho...rsrsrs

Beijo a todos! Patty, vou esperar!